A E.life,  especializada em  inteligência de mercado e gestão do relacionamento nas redes sociais, e a Contexto Estratégia, empresa com foco em  em estratégias políticas, lançam dia 06 de novembro, em Brasília, o Big Data Eleitoral. Trata-se de uma base de dados crescente e contínua, com milhões de informações classificadas e analisadas por diferentes tipos de hábitos e padrões de comportamento de eleitores e políticos nas redes sociais.big-data

O Big Data Eleitoral foi planejado para ser um instrumento de aproximação entre os políticos e a sociedade, pelo conceito de “tribos de interesses”. De um lado, o serviço incorpora a infraestrutura de big data da E.life e a sua ferramenta de business intelligence Buzzmonitor. Por outro, a Contexto integra ao serviço Big Data Eleitoral sua experiência em aplicar e analisar pesquisas quantitativas e qualitativas para traçar estratégias políticas.

Para Alessandro Lima, CEO da E.life, “o Big Data Eleitoral incorpora o conhecimento e a capacidade da empresa em monitorar e analisar grandes volumes de dados nas mídias sociais, como os mais de um milhão de publicações por dia em finais de novela, em disputas de futebol e na própria base de informações sobre os movimentos políticos brasileiros”, revela.

“Hoje, não é mais possível fazer política sem considerar as manifestações e atividades em redes sociais”, afirma Adriano Oliveira, doutor em ciência política, professor da UFPE e sócio-cotista da Contexto Estratégia, para ressaltar a importância da parceria com a E.life.

Baseado na ferramenta Buzzmonitor, da E.life, o serviço Big Data Eleitoral coleta, classifica e analisa os desejos da sociedade, o comportamento de eleitores e políticos e os movimentos sociais que tenham quaisquer relações com o tema. E ainda pode ser utilizado tanto pela sociedade (em versão gratuita para até 6 mil dados na versão freemium) como por candidatos, partidos e governos.

Aos candidatos às eleições de 2014 o Big Data Eleitoral oferece uma ampla gama de informações aprofundadas, classificadas e analisadas – todas disponibilizadas pelos próprios eleitores em seus perfis públicos e comparadas a resultados de pesquisas quantitativas e qualitativas. Com isso, os candidatos poderão criar programas e estratégias de conquista dos eleitores que correspondam aos anseios dessa sociedade que se manifesta nas redes sociais.

A E.life calcula que serão analisados milhões de dados e milhares de pessoas por dia entre Twitter e Facebook, um volume sempre crescente, à medida que as eleições se aproximam.

 

Tribos de interesse mais influentes

O Big Data Eleitoral também pode ser um instrumento para a sociedade monitorar e influenciar o processo eleitoral. Além de ter suas publicações analisadas e organizadas para melhor compreensão dos políticos, cada cidadão pode monitorar assuntos e pessoas de seu interesse. Para isso, basta usar, por tempo indeterminado, a versão gratuita do Buzzmonitor.

 

Políticos monitorados

Faz parte, também, do Big Data Eleitoral o monitoramento do Twitter de alguns políticos brasileiros com o objetivo de analisar suas principais citações, participações e interações nessa rede social, de 11 de setembro de 2013 até as eleições de 2014. (lista abaixo).

 

Metodologia

A metodologia utilizada pelo Big Data Eleitoral envolve indicadores como pesquisas eleitorais quantitativas, pesquisas qualitativas e dados agregados das redes sociais.

 

Agenda

Evento: Lançamento do Big Data Eleitoral

Data: 06 de novembro

Local: Brasília – Mercure Brasília Lider Hotel – Shn Od 5 Bloco I–Asa Norte

Horário: das 9h às 12h

Inscrições: https://www.eventick.com.br/bigdataeleitoral