Por Fábio Vieira, responsável pelos produtos de Gestão de Ativos da Atech

Com a possibilidade de transformar dados em inteligência, muitas empresas estão adotando a ferramenta de Análise de Modos de Falhas e Efeitos - FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) como principal estratégia de manutenção de ativos. Essa tecnologia é qualitativa e associada a um estudo da análise de probabilidade de falhas em um determinado ativo, transforma as informações em dados quantitativos, usados em ações de melhoria contínua.

Aplicado inicialmente na área militar norte-americana, no final dos anos 1940, e depois adotado pela NASA, o FMEA ganhou espaço nas empresas pela montadora Ford e, hoje, diversos segmentos da indústria fazem uso dessa ferramenta, envolvendo equipes multidisciplinares, com técnicos e engenheiros de manutenção, operação, segurança e meio ambiente, alinhados às definições de funções e padrões de desempenho esperados pelo ativo em análise.

Sem o uso de tecnologias para aplicação destes dados, essas informações não geram inteligência. Entretanto, a partir do momento em que o gestor passa a ter controle do processo de engenharia de manutenção, com soluções para monitoramento de condição, planejamento e programação de ordens de manutenção, todas as informações recolhidas nos processos de FMEA ganham sentido, identificando potenciais falhas que podem ocorrer em qualquer etapa do processo industrial e determinando o provável efeito de cada uma das falhas sobre as outras, até a entrega do produto final.

Assim, equipes de gestão de manutenção ganham a capacidade de analisar proativamente as possíveis falhas que podem ocorrer em componentes e analisar os efeitos sobre a função de todo o conjunto, reunindo dados históricos da condição do ativo e de revisões e também automatizando a gestão da execução da manutenção, que gera a constante atualização destas informações.

Essa multidisciplinaridade da equipe contribui para que as decisões tomadas englobem todas as áreas que podem ser afetadas por possíveis falhas. O principal é contar com tecnologias que suportem a análise de dados, que são a resposta para evoluir rumo ao próximo nível em inteligência e gestão estratégica, garantindo o melhor uso dos recursos por meio de capacidades de manutenção preditivas.

Com uma solução de gestão de ativos única e integrada a todo o ambiente tecnológico da empresa, capaz de contextualizar o histórico de informações de todos os departamentos e analisar as funções e potenciais falhas de um equipamento, é possível desenvolver um planejamento de manutenção que garanta a eficiência de toda a operação, com uma estratégia de gestão de ativos tecnicamente viável e com melhor custo-benefício.