*Por Isabela Iori

O uso do Big Data vem crescendo dentro das corporações que lidam com um grande volume de dados, a fim de agregar práticas Juan Lucca 2016que gerenciam esses amplos números com agilidade e confiabilidade, apoiando na tomada de decisões, otimizando relacionamentos, analisando resultados e minimizando riscos.

“Para processar esses conjuntos de dados, as organizações precisam desenvolver algoritmos específicos e usar software especializado capaz de administrar esse volume de dados e fornecer os resultados necessários para apoiar as necessidades de negócios. Isso não é muito diferente em Educação”, conta Juan Lucca, vice-presidente de vendas para a América Latina.

Na educação, as universidades e entidades de ensino estão adotando o Big Data para a tomada de decisões acadêmicas e estratégicas. A D2L, empresa canadense de tecnologia de ensino, criou a solução  Brightspace para fazer este papel. Hoje, sua implementação se estende ao mercado corporativo para auxiliar na capacitação de profissionais e compartilhar conteúdos com funcionários e parceiros no mundo inteiro.

Lucca explica que “na educação, as questões são sobre como o Big Data e a Análise de Aprendizagem podem ajudar a melhorar a satisfação do estudante e engajamento, aumentar as taxas de graduação, melhorar a retenção dos alunos e a eficácia dos cursos. Tudo isso se traduzirá em uma melhor experiência para os estudantes, melhores profissionais, eficácia operacional, aumento da produtividade e assim por diante”.

O especialista comenta sobre o processo “Learning Analytics Blueprint”, um guia responsável por mostrar como implantar uma solução de análise de aprendizagem, que “pode ajudar a melhorar a satisfação do estudante e engajamento, aumentar as taxas de graduação, melhorar a retenção dos alunos e a eficácia dos cursos”. Lucca acrescenta que, dessa forma “isso será traduzido em melhor experiência para os estudantes, melhores profissionais, eficácia operacional, aumento da produtividade e assim por diante”.

Em relação à educação à distância (Learning Management System), o vice-presidente afirma que essa é uma solução para os treinamentos corporativos. “Nos dias de hoje, onde a concorrência é dura e pressão dos custos é mais elevado, a tecnologia e-Learning é a melhor solução de custo efetivo para manter a força de trabalho em diferentes necessidades. A experiência de aprendizado corporativo de hoje é mais do que melhorar o conhecimento e as competências, ela pode ser a chave para impulsionar o desempenho da equipe”, finaliza.