Com a recente decisão da Secretaria da Fazenda paulista de não dar continuidade ao software "oficial" de emissão de notas 17cb83f03575fiscais eletrônicas, a Dzyon S/A estima crescimento de 100% no uso de seu Dzyon NotaSoft nos próximos seis meses. Baseado na "nuvem" e de uso gratuito, o aplicativo faz todo o processo de geração, certificação e envio automatizado das notas eletrônicas. Segundo a CEO da companhia, Francine Nonaka, o sistema é utilizado com regularidade atualmente por mais de duas mil empresas que veem nele vantagens principalmente na facilidade de uso e na automação de envio das NFe's, algo que não é feito pelo software da SeFaz.

A descontinuidade anunciada pela SeFaz de São Paulo, de acordo com Francine, afeta a empresas de todo o Brasil. "O software paulista é usado em caráter nacional, com apoio do Ministério da Fazenda, e está integrado aos sistemas de autorização de todos os estados", diz a executiva. "Nossa estimativa mais conservadora é dobrar o número de usuários do Dzyon NotaSoft até o início de 2017, quando o governo abandonará seu emissor de NFe. A partir daí ainda não há como estimar crescimento, que com certeza será significativo."

O NotaSoft vem sendo utilizado especialmente por empresas que geram grandes volumes de NFe's - na casa das centenas ou milhares de documentos por dia -, para as quais o envio automatizado das notas é necessidade básica. Além disso, pondera Francine Nonaka, o aplicativo gerencia todos os processos legais envolvidos na emissão e é facilmente integrável a sistemas de gestão corporativa.