De acordo com o Gartner, em 2020, 80% das empresas de tecnologia vão operar por meio do modelo de assinaturas. Na corrida pela transformação digital, a tendência é que as companhias busquem cada vez mais eliminar processos manuais e desenvolver de forma inteligente as relações com o cliente. A economia da recorrência é o futuro das relações comerciais e veio para transformar a relação entre as empresas, seus clientes e/ou consumidores, automatizar processos e propor uma nova forma de fazer negócios. Mas, por que ela é a aposta de mercado para 2020?

Antes de mais nada, é necessário entender que a economia da recorrência é a economia que consiste na forma de pagamento de serviços por meio dos modelos de cobranças de assinaturas, planos e mensalidade. É muito utilizada pelas maiores empresas de tecnologia, plataforma de streaming e redes de academia do mundo como Salesforce, Netflix, Spotify e Smartfit. Mas, este é um modelo de negócio que se aplica também a muitos segmentos como educação, saúde, e-commerce, varejo, profissionais liberais e outros prestadores de serviços.

Um dos maiores equívocos cometidos é achar que a economia da recorrência é aderente apenas para empresas de tecnologia. É imperativo entender que com a transformação digital, todas as empresas passarão a ser de tecnologia, ou seja, a tecnologia será inerente a todos os negócios e qualquer modelo de vendas que seja escalável e que tenha um grande consumo, poderá aderir a economia da recorrência.

Benefícios da economia da recorrência

Quando uma empresa adota a cobrança recorrente ela não apenas acompanha a inovação do mercado, como também aplica ao seu negócio maior agilidade para cobrar os clientes, aprimora o controle financeiro, reduz a inadimplência e favorece o incremento de receita. Uma grande vantagem é a previsibilidade da receita, pois como o consumo é recorrente, é possível estabelecer previsões de faturamento para os próximos períodos.

Para os consumidores, ao assinar o serviço, os benefícios incluem: mais opções de pagamento e um sistema que não consome o limite do cartão de crédito. Além disso, este novo modelo de economia promove maior simplicidade na adesão e no cancelamento, transparência nos serviços, precificação baseada em consumo, tabelas ou ranges, mais conveniência, comodidade, e, principalmente, o direito ao acesso e não a propriedade.

Ao fazer parte dessa nova economia, surge automaticamente a empresa o desafio de oferecer um produto ou serviço que seja de alta qualidade, já que esses são os principais motivadores para o assinante manter-se fiel à sua assinatura. Anteriormente, antes da adesão da recorrência, o maior objetivo era conquistar novos clientes. Após a concessão, esses esforços devem ser direcionados para melhorar o atendimento na base e aperfeiçoar cada vez mais o produto para atender o seu público. Desta forma, a economia da recorrência oferece a oportunidade de proximidade com o cliente para entender exatamente qual é a sua necessidade.

Clube de assinaturas já é realidade em todos os segmentos

Existem diferentes tipos de modelos recorrentes e de assinaturas e é importante entendê-los para direcionar qual atende de fato a cada tipo de empresa. Existe a Assinatura Tradicional ou Direta, aquela em que é necessário pagar antes de usar. Serviços de e-commerce e com entrega de conteúdo como a Empiricus, por exemplo, utilizam este modelo já que precisam cobrar antes de liberar o produto.  Outro tipo, é a Assinatura Configurável ou Combo, onde o cliente personaliza os produtos em sua assinatura. Assim, cada assinante terá preço, itens e logísticas personalizadas de acordo com seu combo. Um exemplo de empresa que utiliza esse modelo é a Petlove - maior pet shop online do Brasil. Por último, existe a Assinatura com Plano Fixo mais Produtos e Serviços Avulsos, no qual é oferecido uma assinatura padrão e a possibilidade de incluir na cobrança, serviços e produtos avulsos como itens recorrentes. Exemplo desse serviço são as empresas de telefonia, em que o cliente contrata um plano de valor fixo e pode incluir franquias para tipos de diferentes de serviços.

Como expusemos neste artigo, a economia da recorrência está totalmente alinhada ao conceito de inovação e com certeza é uma das principais apostas para as empresas atentas em acompanhar a necessidade e as mudanças de consumo da sociedade.

 

Rodrigo Dantas

CEO da Vindi