A missão de consolidar internamente o processo da Transformação Digital coloca o RH como protagonista nos projetos de inovações e mudanças, e promover essa transição da mentalidade das pessoas para um novo jeito de pensar e agir auxiliados por tecnologias traz novos desafios, que exigem um papel cada vez mais estratégico do RH.

Neste cenário, é fundamental que a área de Recursos Humanos desenvolva o ritmo necessário para antecipar as demandas do negócio, impulsionando o atingimento dos resultados esperados.

Porém quais aspectos precisam ser superados para que o RH avance em seu escopo de atuação, e se posicione como provedora da inteligência corporativa digital?

O primeiro ponto é que o RH deve expandir o seu olhar e integrar o conceito de Transformação Digital em todos os processos, desde o recrutamento e seleção, passando pelo desenvolvimento das pessoas, e o acompanhamento do desempenho de cada um, o que envolve, é claro, a sofisticação da tecnologia utilizada pela área.

Se no passado, a primeira onda da digitalização aconteceu porque RH deu o pontapé inicial em mover seus processos operacionais para soluções tecnológicas como a digitalização da folha de ponto, o futuro do RH envolve um nível mais profundo de imersão tecnológica, como a robotização e o uso de inovações que adotam conceitos de Inteligência Artificial (AI), sua integração a processos de gestão de pessoas, e a geração de uma cultura organizacional mais voltada à experimentação e à adoção de novos paradigmas.

As tecnologias mudaram e continuarão a mudar o jeito de trabalhar. Da mesma forma que as metodologias ágeis se somam às competências digitais, e passam a referenciar as competências desejadas a serem desenvolvidas, em profissionais de diferentes áreas da empresa, é crucial que os gestores e equipes de RH façam uma imersão nesse mundo para que possam interagir proativamente com novos recursos e ferramentas de trabalho.

Soluções que aplicam conceitos de Inteligência Artificial para automação de processos, e que disponibilizam dashboards com indicadores fundamentais para o dia a dia, são exemplos das tecnologias que despontam como grandes parceiras para tomadas de decisão, cada vez mais assertivas e liberando as pessoas para assuntos mais estratégicos.

Coletar, analisar e tratar informações por meio de recursos informatizados que viabilizem esse processo, já é parte do RH moderno. Agora, para se tornar ainda mais estratégico, a tendência é incluir ferramentas que possibilitem aos profissionais a lidarem com grandes complexidades e volumes de dados com valor agregado, estabelecendo parâmetros a partir de informações obtidas para gerar cenários e projeções preciosas, que antecipem futuras demandas não só do RH, mas de toda a organização.

O grau de amadurecimento do papel estratégico do RH de cada organização é fator determinante para entender quais as etapas a percorrer, e os desafios da transformação digital a superar. Quanto mais definido e transparente for o planejamento para essa mudança de escopo da área de Recursos Humanos, mais rápidas, melhores e conectadas à evolução do negócio serão as suas contribuições.

 

Mario Fontes Moraes

Gerente executivo de RH da Apdata