Atualmente, virou moda as empresas divulgarem que estão “implantando ágil”. Entretanto, para se ter métodos ágeis é necessário um aspecto básico, muito antes de cultura, de prática, de convencimento: é necessário ter disciplina.

Vamos começar a falar da problemática encontrada, definindo o que é disciplina. Ter disciplina é essencial em vários aspectos da vida das pessoas de todo o planeta, desde a realização de objetivos pessoais até a manutenção da ordem para que o convívio em sociedade seja possível. Sem disciplina você não conseguiria sair da cama todos os dias, por exemplo, para praticar uma atividade física, ou não alcançaria as metas do seu trabalho, da mesma forma que sem disciplina a vida em sociedade se tornaria impraticável e o mundo seria completamente diferente.

Definição de disciplina intelectual

A disciplina intelectual tem estudo considerado recente, surgindo quase ao mesmo tempo que termos como “inteligência operativa”, “inteligência psicológica” e “inteligência competitiva”, e está cada vez mais presente no cotidiano. A disciplina intelectual pode ser definida como a capacidade que uma pessoa tem de fazer alguma coisa, mesmo que num primeiro momento não traga qualquer tipo de prazer satisfação ou sensação de realização, mas que se mostra extremamente benéfica no longo prazo, ou também enquanto mais se pratica e enxerga o sentido benéfico.

Tendo a definição de disciplina abordada, e pinçado qual sentido da disciplina será abordado, vamos falar sobre as quatro características de indisciplina que contribuem para o fracasso da agilidade:

 

  1. 1.      Ignorância
    A principal característica da pessoa indisciplinada é não saber para o que a disciplina serve. Como disse acima, sem disciplina não conseguimos sequer levantar da cama. Para uma mudança de cultura, de mindset e de adoção de prática, é necessário ter disciplina e ter o conceito de disciplina muito claro, e buscar o “just do it” para colher resultados o mais rápido possível (resultados esses que contribuem no processo de disciplina intelectual, enxergando o benefício pouco a pouco).

 

  1. 2.      Presunção
    Uma pessoa presunçosa é aquela que vive falando a frase “eu não preciso disso”. Com certeza essa pessoa vai falar que existem métodos melhores, que existem outras práticas que funcionam melhor, que ele nunca usou ágil e sempre entregou antes do prazo, e outras frases vazias. A presunção é o primeiro elo fraco de uma equipe que está tentando ter a disciplina de adotar a agilidade. Além de tóxica (podendo infectar outros), a presunção é derrubada com fatos. Portanto plante disciplina para colher agilidade.

 

  1. 3.      Soberba
    “Eu sou melhor que isso”. “Façam vocês em ágil que farei em meu tempo”. “Eu consigo alcançar a todos, sou muito ágil a ponto de não precisar de ter essa disciplina”. Geralmente, essa é uma pessoa que leu a orelha de um livro (ou contracapa), e já se considera mestre no assunto.

 

  1. 4.      Irresponsabilidade
    Essa característica é a pior de todas. Na maioria das vezes, está dentro de uma pessoa que sabe o que tem que fazer algo, até deve conhecer o modus-operandi de como fazer esse algo, mas simplesmente não faz. Por irresponsabilidade, única e somente, deixa de fazer.

 

Como desenvolver a disciplina para mudança de cultura e adoção dos Métodos Ágeis?

Para desenvolver a disciplina devemos estabelecer “mini-hábitos”. Sim, a palavra está correta. Mini-hábito é o conceito de transformar uma coisa que se mostra absolutamente difícil e inatingível (ou até mesmo torturante) em pequenos méritos e pequenos hábitos cotidianos.

Na agilidade, estabelecer o hábito de atualizar um board todos os dias, no horário estipulado pelo time, no início, pode gerar algumas faltas, olhares feios e até reclamações, até que a disciplina do mini-hábito traga o habitual do dia a dia e o benefício de saber e dar visibilidade a todos do que o time está fazendo, alimentando um burn-down ou outras ferramentas.

A disciplina do mini-hábito é uma virtude treinável, você consegue se tornar um profissional e ter um time com disciplina e investimento de tempo, disposição de executar todos os dias pouco a pouco com uma ou mais pessoas do time.

Para isso, elenco três pequenas soluções para se aplicar no dia a dia, trazendo a disciplina dos mini-hábitos e resolvendo as características acima que geram indisciplina:

  • ·        Clareza
    Tenha clareza nos objetivos e na comunicação deles. Nunca use o verbo “achar” em uma frase ou presuma que “acha” algo. Tenha a certeza e a clareza para onde vai chegar, para onde deve ir e como vai chegar lá. Escreva isso, deixe isso visível a todos, para que todos olhem e busquem a mesma coisa com disciplina. Todos precisam ter claro para onde vamos ser levados e como vamos chegar. O caminho se faz caminhando.
  • ·        Definição do propósito

Por quem eu faço as coisas? É por mim, para o outro, para entregar algo, para dar continuidade em algo ou para manter o trabalho de outro que precisa do seu? É preciso de inércia, pois muitas pessoas precisam da sua atitude para que a delas se avancem. Isso também dita como você vai se sentir, envolvendo responsabilidade, zona de conforto e o sentimento de dever feito por você! Ter a clareza do que deve ser feito, e fazer por algo por alguém, já dá 60% do big picture da disciplina em si.

  • ·        Mini-hábitos entregues?

Cada mini hábito deve ser celebrado, anotado e percebido. Vários mini-hábitos entregam um grande hábito. Para se ler um livro por mês, por exemplo, deve-se ter um mini-hábito de ler um parágrafo por dia, até se transformar em uma página por dia e assim vai. A cada mini-hábito vencido é uma etapa vencida e uma frustração extinta.

Por fim, ressalto que a disciplina é treinada para se ter durante sua jornada. Divida sua agilidade em mini-hábitos, repita-os frequentemente e entregue-os até se tornarem automáticos. O benefício chegará facilmente.

 

Débora Camargo

Gerente de Portfólio da eCOMEX-NSI